sábado, 8 de setembro de 2007

Caravaggio


CARAVAGGIO* é bom. Insitgante, como muitos pintores. Cheio de detalhes e significados, como muitos outros. Gosto do toque perfeito e também do tom de inovação, que nem sempre teve a aprovação da igreja católica.
No caso das pinturas alusivas à Bíblia Sagrada, ele tira as personagens do céu, ou seja, sempre que retratou as personagens bíblicas, não as fez em nuvens, portas celestiais. Sempre optou por humanizar os santos, uma forma de provocar ou simplesmente de ambientar as situações na bíblia descritas, trazer para o mundo real.Com isso, o fundo de cada cenário é quase sempre escuro, voltando as atenções às figuras, santas, mas de uma santidade conquistada a partir de um caráter humano.
Aqui, só algumas das obras desse gênio das sombras e dos tarços humanos.
Chamado de São Mateus
Aqui Jesus aparece apontando para o velho e barbudo São Mateus, ordenando que o siga. E tudo se acontece num buteco, no meio de uma partida de cartas: estupefação geral perante essa heresia, da parte da igreja.
No quadro está a dúvida de Mateus (de boina ao centro) sobre ser ele mesmo o invocado, a expectativa dos jovens à direita, a indiferença do outro à esquerda, absorto no jogo. Há uma serenidade levemente desfeita pelo apelo da mão.
O martírio de São Mateus
Já aqui, a figura do carrasco, que arrebata o ancião adormecido para assassiná-lo, é como eixo de uma roda humana, na qual se refletem as mais diferentes atitudes diante da morte: desde a impassibilidade do jovem ricamente vestido, até o grito de horror do menino que foge, e o socorro sobrenatural trazido pelo anjo. Mas a carnalidade palpitante dos nus, ao lado da originalidade da concepção, despertou a reprovação de muitos.

Conversão de São Paulo
Paulo sempre perseguiu aqueles que criam em Deus. Martirizava-os, perseguia-os, aprisionava-os e flagelava-os. Certo dia, Paulo ouviu a voz de Jesus em clarão, que o mandava seguir até Damasco para lá encontrar sua missão. Cego, devido à luz, seus companheiros o guiaram até a Cidade. Lá, recebe seu batismo e a missão de propagar a mensagem de Deus. Por muito tempo ele ainda temeu represálias de todos por seu passado. Retratados, estão o caos e a confusão do momento em que Paulo recebe a luz. Tanto na imagem acima, quanto no quadro abaixo, o santo é centrado no lado inferior do quadro, com o significado da insignificância do homem perante a divindade.

A Crucifixão de São Pedro
Pedro foi um dos mais companheiros, mas também um dos que mais negou Jesus. Sempre esteve ao lado dele, mas na ocasião da morte de cruz, negou que conhecia Jesus, por três vezes. Mas Jesus sempre soube que tudo aconteceu, pois estava assim escrito. Até que um dia disse ao apóstolo: “Tu és Pedro e sobre esta pedra [Pedro significa pedra. grego] edificarei minha igreja”. Após o fato da negação e após o Cristo ter ressuscitado, se sentindo traidor, Pedro foi se entregar em Roma, para ser crucificado. Mesmo sendo nomeado o primeiro bispo da igreja católica – o Papa, naquela época, Pedro não se sentiu compensado e quis ser crucificado, mas ao contrário, de cabeça para baixo, de pernas para o ar, pois não se considerava digno de morrer da mesma forma que Jesus. E assim se fez.
Aparição em Emaús
Estavam três discípulos a viajar para um povoado chamado Emaús. No cainho discutiam sobre ser o terceiro dia que Jesus havia morrido e nada dele aparecer, como previa as escrituras. Aí Jesus apareceu entre eles, mas estes estavam distraídos por demais, nem notando que ali era Jesus. Então assim, os homens convidaram este “estranho” para com eles ficar, pois se fazia tarde. Eles foram, cearam, e Jesus partiu o pão recitando a benção. Neste momento os olhos se abrem à verdade e Jesus desaparece. No quadro, a imagem da discussão, os apóstolos (além do anfitrião da casa), com gestos naturais, que seriam mais cerimoniosos se soubessem que aquele homem sereno que defendia Jesus era o próprio.


Só acredito vendo - A incredulidade de São Tomé
Assim, foram até outros apóstolos e amigos que também já discutiam que Jesus havia aparecido a Pedro. A discussão era muita e o tumulto também. Nisso, Jesus aparece a todos, sopra-os em saudação. Paralisados todos ficam a olhar. Jesus mostra a mão e o lado ferido pela lança. Tomé, um dos presentes, disse de imediato “Se eu não tocar na tua mão, se eu não puser os dedos na ferida e no lado, não acreditarei”. Jesus o convida e este comprova que ali é um homem de carne. Jesus diz “acreditaste Tomé, porque me viste. Felizes os é responsável pelo clima de apreensão do momento descrito na bíblia. Eis aí o real sentido do "Eu só acredito vendo".

O sacrifício de Isaac
Abraão recebeu uma mensagem de Deus. Que por ele provasse seu amor, subindo ao monte e sacrificando seu único filho Isaac. O pai foi, sem temer.No momento em que ia descer a faca para degolar o filho, um anjo segurou a mão e deteve o ato. Deus disse que não poderia haver prova maior do que a dada por Abraão e que estava, assim livre do sacrifício. Impressionante.



*Michelangelo Merisi da Caravaggio nasceu em 29 de setembro de 1571 e viveu até 18 de julho de 1610.

:-]

9 comentários:

Di disse...

Caravaggio era e é de fato uma lenda. Sua descrição dos seus trabalhos é como belo e descritivo como a sua arte. Tchau!

Kagê disse...

Caravaggio é tudo isso.
E eu posso dizer que já tive o privilégio de ver grande parte de sua vastissima obra em Roma, Espanha, Paris e NY.
Qdo a gente olha, fica embasbacada. Depois de alguns minutos, os personagens retratados "falam" conosco!
Beijao
Ka

Eli K disse...

...que inveja de vc, Kátia!!! (inveja boa,claro)!

Já pude conferir (aqui no Brasil mesmo) as bailarinas de Degas. Perfeito e inesquecível!
Estar diante de um Caravaggio...quem sabe um dia...
:]

Bartira disse...

Iremos juntos, ELi... Visitar o Louvre!

Quando entrei na facul não entendia nada de arte... Ainda não entendo, mas depois de conversar com você fiquei várias semanas pegando livros sobre pintores famosos, lembra?

Eli K disse...

Nem fale, Bá! A gente devorando aquele livrinho e analisando por exemplo que era o mais doido no Jardim das delícias! eheheh
Saudades...mas é real!Temos de ir ao Louvre!
Lv ya
:-]

Clélia Riquino disse...

Lindos quadros, Eli! Impressionante a reprodução e riqueza de detalhes, o domínio do contraste de luz e sombra. Deve ser emocionante ver a obra dele de perto...

bjo,
Clé

PS: Dê um pulinho no Achados, falo da Elis.

Eli K disse...

Realmente deve ser muito intrigante estar diante de um Caravaggio!

:-]

Anônimo disse...

Olá benção de Deus este blog é uma benção que Deus continue te abençoando ricamente! Um grande abraço!
JOSEMAR SANTOS
josemarsantoslouvai.blogspot.com

eLi disse...

Muito obrigado pela visita, Josemar!
E pelos elogios também!
Abraço