segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Dos 3

Dos heterônimos de Fernando Pessoa, o que mais me agrada é Álvaros de Campos. Seu romantismo ligado ao moderno e uma visão mais sóbria das coisas terminam por dar um tom de atualidade às escritas.
Tive meus primeiros contatos com seu autor, Pessoa, nas primeiras séries da escola e achei realmente intrigante "um cara ser ele e mais três ao mesmo tempo". Coisas da arte escrita...
Como costumo dizer, nem sempre é necessário tentar entender muito, apenas se alimentar, sentir, vivenciar...
Transcrevo aqui um poema conhecido, dessa figura, Campos, que mais adimiro das três. Fala de uma necessidade: a de amar, mesmo que seja ridículo.
Mas antes, amor.




Todas as cartas de amor são ridículas
Álvaro de Campos (21/10/1935)

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.
Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.
As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.
Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.
Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.
A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.
(Todas as palavras esdrúxulas, como os sentimentos esdrúxulos, são naturalmente, Ridículas.)

****

ilustrações de José Sobral de Almada Negreiros, "homem de muitas artes", português (1893-1970)

6 comentários:

Clélia Riquino disse...

Também gosto deste poema, Eli. Bethânia o declamou em seu disco Imitação da vida (1997), durante a música Mensagem (tentei fazer um link com o iJigg, pra você ouvi-la, mas não deu certo).

No encarte, o título do poema está assim:
Texto: "Todas as Cartas de Amor são" de Álvaro de Campos

Bjo,
Clé

Clélia Riquino disse...

Bom, Eli, se você acessar o site: http://www.ijigg.com, e pesquisar a música Mensagem, conseguirá ouvi-la. Tente...

Eli K disse...

Ouvi!Obrigado pela dica!
A voz levemente arranhada de Bethânia dá um toque sereno ao texto.

:-]

Clélia Riquino disse...

Acho que consegui, Eli. Clique aqui.

Gosto muito da Bethânia declamando...

bjo,
Clé

Di disse...

wow!
O relacionamento entre letras do amor e o ridicule é muito bom composto. Eu gostei da escrita.
cheers.

Eli K disse...

Clélia,
Visitei o link!
Obrigado mesmo!
:-]

Di,
Thank you for your visit!
I hope you can understood the words here. If you want, ask me and I can explain better!
kisses
:-]