segunda-feira, 2 de março de 2009

Privação

Aquela, à quem dão o título de bem-sucedida,
Mostra-se, depois de uns copos, na mesa,
Diferente. Ou talvez nem tanto.
Quem sabe aí sim, é que está sóbria do que é.

"Ele não deixa eu ver meus amigos do samba.
Meus amigos são todos do samba!
Nossas melhores festas eram no samba...",
Desabafa ela, aos ouvidos de uma outra mulher,
Desconhecida, mas que ali também está.

"Eles nem vão mais em casa,
Eu não posso mais ligar para eles.
Tudo por causa dele."

Ele é aquele que a deu tudo,
Ajudou a chegar onde está hoje.
Mas ao salvá-la, tirou.
Sobretudo seu mundo do samba.

5 comentários:

nora disse...

pois, ás vezes acontece, da pessoa se abrir deppois de umas.
mas também qta coisa se faz só depois de bebida.
hj eu fui eu mesma?
..............

bjs

Vanessa Dantas disse...

Sem samba ela não sobreviverá...

Beijo.

eLi disse...

É, boa Nora...artifícios para ser que se é, ou para ser o que se cria?!

Vanessa,
É mesmo difícil mover a vida sem o que se gosta!

Beijos e obrigado pela visita, meninas!

Di disse...

Quite intriguing, but enjoyable nevertheless! Keep writing :)

Beijos!

eLi disse...

Some stories from our life.
Thx by the visit, dear Di.
:-]