segunda-feira, 27 de julho de 2009

União



Ela cresceu ouvindo:
Noiva que come na panela
Terá chuva no dia do casamento.
E não deu outra.

Desde o início do dia,
Chegando à massagem especial,
Ao fazer o pé, mão, cabelo, maquiagem.
As gotas estavam lá, do lado de fora da janela,
Persistentes, com se dissessem:
“Não liga não, hoje não temos horário para ir embora.”

Isso não tirou em nada a beleza do dia.
Não diminuiu em nada a importância da ocasião.
Nem sequer o anúncio do cerimonial,
Que fez questão de lembrar aos noivos que eles precisavam se confessar.
Ou não entravam. Normas da religião.

Entra um religioso no carro da noiva,
Expulsa o chofer e ouve a moça.
Corre o noivo ao confessionário,
Antes de fazer sua entrada com a mãe.

Passada a correria,
No altar, todos eram nervosismo e comoção.
Como estava lindo o casal!

O riso veio solto,
Quando o padre evidenciou que a aliança recém-trocada
Estava na mão errada do noivo.
Ela teria colocado no dedo errado?
Ou fora ele que estendera a mão trocada?
Tudo só contribuiu para que a cerimônia fosse bela
E única.

Nada disso importava,
Pois os jovens namorados,
Agora casados,
Recebiam um mundo de bons desejos,
Em abraços, beijos e palavras.
Para levarem à nova vida que acaba de começar.











Fotos: Eli Carlos Vieira

6 comentários:

Carol Binato disse...

São nestes momentos de emoção que entendemos a beleza do casamento. Vemos tantas separações, tantos divórcios, tantas brigas sem motivo e resolução, que passamos a questionar o matrimônio...
Mas aí, ao ver a felicidade da noiva estampada em seu sorriso e presenciar o amor do noivo por sua futura e tão logo esposa no profundo olhar, a esperança de ter um casamento feliz nos enche o coração!
Que mulher não tem o sonho de casar e compartilhar a vida ao lado de quem se ama?! E q homem não tem o mesmo sonho?! Podemos dizer, "Ah!!! Passo longe de casamento (eu sou uma q digo assim!)" No entanto, lá no fundo de nossos desejos, há sim a vontade de sentir oq este casal sentiu: o amor, a felicidade!!

Como sempre, arrasando nos textos né Eli?!

Beijooos

eLi disse...

Verdade, Carol, não é possível generalizar mesmo.
Presenciei sim, muita coisa boa, ao fotografar esse evento tão importante aos dois!
Sou daqueles que ainda confiam na instituição, mas tenho também consciência de que cada vez menos os jovens crescem com maturidade suficiente e necessária para chegar a um casamento.
Muitos procuram por fórmulas perfeitas, valores padronizados, esperam mágicas acontecerem, sem saber que o cotidiano da vida a dois exige ingredientes mais simples, porém vitais, como cumplicidade, respeito (à individualidade, inclusive), cooperação, companheirismo, entre outros inúmeros fatores. É preciso sim, acreditar no casamento e ter total consciência da decisão séria que se está a tomar!

Beijão!

MariLima Paz disse...

Nossa Eli, que lindas palavras, muito obrigada, viu...
Me emocionei muito ao ler!
Vou divulgar seu Blog, pode????


Beijos dos amigos
Mari e Fábio

eLi disse...

Oi Mari! Que bom que gostou!!!
Pois é, adoro esse espaço aqui.
Divulgue sim. Quem quiser que se achegue, tem espaço para todos!

(Acho que deixei você curiosa sobre as fotos, né? Mas logo, logo passo o DVD pro meu irmão, tá?)

Felicidades, sempre, a vocês, Mari e Fábio!

Ives Nelson disse...

Lindas as fotos Eli. Autoria própria ou esqueceu de creditá-las, ou as duas coias?

eLi disse...

As duas coisas, Ives.
As fotos são minhas mesmo. Recebi a missão de fotografar o casamento da Mariana e do Fábio, super casal. Ela é cunhada do meu irmão. Apesar de ser apenas um amador da fotografia, me diverti bastante e eles que tiveram de ter paciência comigo!

Abração!