quarta-feira, 18 de maio de 2011

Despedida

Ele estava prestes a se casar.
Mais uma semana e chegaria a cerimônia.
Antes, decidiu passar uma divertida despedida de solteiro.
Beber, comemorar e brincar, despreocupadamente.

Após a festa, voltou para casa.
Mas não retornou só.
Chamou uma amiga colorida,
Afinal a casa estaria livre no fim de semana.

Fizeram de tudo, como se fosse a última vez,
Pois, no outro fim de semana,
Seria um homem casado.
O clima frio sequer atrapalhou:
O calor do chuveiro
E dos dois corpos juntos
Foram responsáveis por esquentar tudo.

A noite prometia.
Melhor impossível.
Um tempo para não pensar em nada sério,
Não se responsabilizar por nada,
Apenas a despedida.

Após o final do fim de semana,
Os pais do rapaz retornaram de viagem.
Todos estavam envolvidos naquela semana
Que seria decisiva, marcante.

Decisiva foi sim, mas por outro motivo:
Um flagra mudou radicalmente os espíritos.
Deitados na cama,
Estava o casal de jovens.

Após comemorarem a despedida,
Da solteirice dele e das noites de farra dela com ele,
Celebraram também a morte de ambos,
Que, ao não atentarem ao vazamento de gás,
Do sistema de aquecedor do chuveiro, durante toda a madrugada,
Mataram a si próprios,
Silenciosa e tragicamente.

11 comentários:

Simone disse...

Essa história eu conheço e achei beeem trágica!!
Eu hein?! MEDO!!!

Mas ainda assim cogitei lá em casa a ideia do chuveiro a gás! Frioooo. Hehehe.

Beijos.

Dita Panul disse...

Afe! Que trágico e pensar que isso ainda acontece de verdade...triste!

Gostei muito dos seus comentários em MiniContos Perversos e vim te conhecer.

Um beijo.

eLi disse...

Impressionante, né, Simone?
É preciso estar atento! Só isso!

Dita! Obrigado pela visita!
Isso é real mesmo! O caso é real mesm! Autoridades estrangeiras realizam campanhas e programas para evitar este tipo de morte.
Assustador!

Beijo, meninas!

Vampira Dea disse...

Pelo menos dormiram depois de se divertirem muito, nada melhor do que amigos coloridos rsrsr. Começa bem cotidiano e termina tragicamente , adorei, simples e certeiro. Um beijão querido

eLi disse...

Sim, Dea! Gozaram a vida!
Cotidiano...de qualquer um!

Beijão!!!!

Necessaire para Todas disse...

Oi Eli!, sim tem coisas pra meninos! desculpa não ter falado, rs

Então, que coisa trágica hein? mas cá pra nós, safadinhos os dois hein? rssssssss

Bjos, Denise

eLi disse...

Pois é, Denise! Há quem diga que foi questão de "Crime e Castigo". Que loucura, né?! Parece uma versão trágica do dito "Mentira tem perna curta".

(sim, irei conferir as malhas em Sampa, terei de me controlar para não cometer loucuras!)

Beijo e volte sempre!
:-]

Kagê disse...

Muito legal!

Como "mais velha", me dou o direito de dar uma dica: eu tiraria o "a gás" da frase .."E o chuveiro a gás foram responsáveis por esquentar tudo" porque ant6ecipa a tragédia (pelo menos pra mi, assim foi).

Identifico-me muito com teu estilo. Continue brindando-nos, ok?
Beijos
Ka
PS: onde anda?

eLi disse...

Legal te ver por aqui, Kátia!
Obrigado pelo toque que, claro, é bem vindo e aceito! A identificação é mútua, acredite. Apesar de os teus textos serem bem mais profundos e maduros do que os meus (que ainda considero como um amontoado de ideias, por vezes), gosto e inspiro-me muito!

Estou de volta à terra desde novembro. Decidi não retornar por 'n' motivos, entre eles a troca de pagamento que antes era em euro e agora passa a ser em dólar (UMA DAS coisas que mais compensavam a bordo).
Estou numa empresa de clipping no Ipiranga. Em fase de adaptação e investimento, já que o quesito financeiro ainda está em baixa. Sou responsável pelo clipping da Estadão Espn e, claro, "acompanho" teu filhão diariamente. Neste momento ele fala em uma sala de coletiva de imprensa em Londres! Curto a cor da voz dele (me lembra um pouco tom do nosso colega Miranda da Prefeitura). Chamam muitas vezes ele de Conca, qual o motivo?

Beijo enorme, Ká!
:-]

Carol...... disse...

Olha eu aqui em Eli rs, nossa q história trágica meu deus!!Mas aproveitando acho tão bobo esse negócio de despedida de solteiro e ter q dormir com varias mulheres, uma coisa tão boba, sei lá!!
Bjss

eLi disse...

Será que isso existe mesmo, Carol? De o cara estar indo pro altar e se despedir com outras mulheres? Acho que não. Neste caso aqui, foi no interior, pessoal diferente. Mas acho que a despedida deve resumir-se à bebedeira e conversar bobagens com amigos. Ponto! Penso que nem você: não tem sentido de ser assim!


Beijooo!