segunda-feira, 13 de abril de 2009

Patrimônio

Hoje é dia do Hino Nacional Brasileiro.
A canção oficial. Brasileiríssima!
Por ossos da profissão, costumo acompanhar muitos eventos em que o Hino Nacional é executado. Muitos mesmo.
Mas, apesar da rotina, apesar da formalidade, confesso que me emociono toda a vez em que essa musiquinha é tocada. Me emociono mesmo. Em 98% das execuções (Nos outros 2% desvio o pensamento, para não "pagar mico").
Sinto como algo que podemos chamar de nosso, com toda propriedade, quase como nosso nome, extremamente familiar e da casa. A letra, o clamor. Nosso patrimônio.
Essa parte é tocante, sobretudo com a junção dos acordes:

Mas se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.


É, ele também é ariano. Foi executado a primeira vez no dia 13 de abril de 1831, em desacato ao imperador Dom Pedro I, que havia renunciado o trono. Ele acabava de embarcar para Portugal.
A música foi composta bem antes, em 1822, por Francisco Manuel da Silva, em razão da independência brasileira.
A letra viria somente em 1909, após diversas versões e utilidades (algumas letras insultavam os portugueses, quando eles já não estavam mais em alta, no gosto brasileiro). A letra foi concebida pelo poeta e jornalista Joaquim Osório Duque Estrada, em 1909, que venceu o concurso para decidir qual texto se encaixaria melhor à música. Juntas, letra e música, tornaram-se hino nacional brasileiro em 1922. Oficializado pelo então presidente Epitácio Pessoa.
O curioso, nesses mandos e desmandos, alterações de letra do hino, é que a canção possuía uma letra também para a introdução, que hoje conhecemos somente em forma instrumental. A letra foi composta por Américo Moura, presidente da província do Rio de Janeiro entre 1879 e 1880.
É essa aqui:

Espera o Brasil
Que todos cumprais
Com o vosso dever.

Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!


Gravai com buril
Nos pátrios anais
Do vosso poder.

Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!

Servi o Brasil
Sem esmorecer,
Com ânimo audaz
Cumpri o dever,
Na guerra e na paz,

À sombra da lei,
À brisa gentil
O lábaro erguei
Do belo Brasil.

Eia sus, oh sus.



Curiosíssimo!

2 comentários:

Anônimo disse...

A Escola de Guardas-Mirins de Ponta Grossa no Paraná possui um Projeto intitulado Cidadania: exercitá-la é dever de todos.
O projeto divulga esta introdução de Américo de Moura, pode ser visto no youtube com o titulo Introdução do Hino Nacional.
Considero muito importante essas iniciativas.
Daniele - Ponta Grossa - PR

eLi disse...

Mutíssimo obrigado, Daniele, pela colaboração!
Passei sim, no youtube e vi o belo trabalho feito com os pequeninos, em nome da cidadania e sobretudo da identidade cultural brasileira!

Parabéns a todos os envolvidos com esse trabalho, na Escola de Guardas-Mirins.

Sucesso!