segunda-feira, 15 de junho de 2009

Explosão na parada

Domingão, 14 de junho.
A 13ª Parada do Orgulho Gay em São Paulo.
Orgulho e a busca por direitos.
Muitos direitos.

Sobretudo o direito de ter direitos,
Sempre que pessoas que não toleram sua existência,
Partirem para ataques, agressões, violências.

Para isso, parece que alguns preconceituosos,
Para testarem as atuais leis que beneficiam gays e afins,
Resolveram soltar uma bomba,
Feriram pelo menos 21 pessoas,
Nas imediações do Largo do Arouche.

Mais adiante, um rapaz de 17 anos foi agredido por homens desconhecidos.
Na rua, sangue e pequenos recortes de roupa sobraram,
Para evidenciar o traumatismo craniano que sofrera.

Agora é ver se o teste feito por possíveis homofóbicos,
Dará certo ou não.
Haverá investigações? Punidos?
Um deles diz,
“A pessoa que arremessou não sabe quem estava ali,
Se era gay ou não. Somos todos pessoas.”

4 comentários:

Jairo Souza disse...

Haverá Investigações? Punidos? Não se esqueça que independente da opção sexual estamos nos Brasil! Nossa justiça é, digamos, estrábica ou miope!

qnt a senha do C_mpl_te é rcd, já coloquei lah no blog, obrigado pelo toque!

Ives Nelson disse...

Diante desses fatos... é um esforço quase sobre-humano não ser pessimista!

Infelizmente =/

Di disse...

Read about the incident... It is extremely unfortunate that because of the ignorance of a few, human rights are in danger. Praying the situation improves!

eLi disse...

É um fato cruelmente verdadeiro, Jairo, em se tratando de Brasil!
Isso pode até explicar a falta de fé na justiça que as pessoas têm. Em umas dessas matérias de repercussão do caso, vi uma sobre a opção de os agredidos não registrarem boletim de ocorrência como crime homofóbico, pois temem que suas identidades sejam reveladas, uma vez que frequentam muito o bairro, que também pode ser exposto, pois há muitos "gays de poder aquisitivo alto" que consomem ali. E agora? Eles continuam apanhando pelo medo (vergonha ou impossibilidade de darem as caras)??
Abração e sempre obrigado pela visita!

Pessimista e também incrédulo, né, Ives? É a lei do cada com seus problemas...

Dear Di, tik hai, it’s really unfortunate!
People around here and there (unless in Brazil) are not prepared to face this kind of person in their own differences: they doesn’t have to be like everybody (nobody have to)! The differences have to be respected.

Beijos, thanks for visiting!