sexta-feira, 12 de junho de 2009

Morte inevitável

Após a raiva de ter perdido um voo no Brasil para a França,
Sentiu-se aliviada em saber do acidente em que estaria envolvida,
Se caso tivesse chegado a tempo para o embarque,
O que ocorreu com 228 passageiros.

Não sabia que seu alívio não duraria muito.
A senhora acabou por envolver-se em um acidente.

O carro em que estava, na Áustria,
Bateu em um caminhão.
Morte na hora para ela.
Seu marido, que também perdera com ela o voo à França,
Fica em estado grave.

7 comentários:

Ives Nelson disse...

Engraçado... parece que já vi essa história no cinema! hehehehehehe

eLi disse...

Pois é, está mais perto!
Saiu essa semana na Times.

Abração!

Vanessa Dantas disse...

Que coisa triste! Parece que é certo. Quando a hora chega, não há jeito!

Beijo.

Jairo Souza disse...

Final Destination!!!

eLi disse...

Não há jeito mesmo, Vanessa! (E para quê fugir, né?!). Mas que dá medo, dá!

Nunca se sabe, né Jairo, destino de cada um!

Boa semana a vocês!

Kagê disse...

Tragédias. Tragédias. Hoje não sei como confortar um amigo que está vivendo uma tragédia pessoal..Será que existe uma forma realmente de confortar alguém nessa situação?
Beijo
Ka
PS: to curiosa pra saber sobre essa mudança de mARES...

eLi disse...

Tragédias são difícies de serem superadas, até porque ninguém espera por elas.
Confortar amigos assim é difícil. Mas às vezes não é preciso muito. O importante é a pessoa manter-se viva, pois a vida segue, e provavelmente há pessoas que dependem dele.
Nessas horas o tempo é sábio.
Sobre a mudança, não é nada tão grande assim, mas eu te falo!

Beijo, Kátia!