quarta-feira, 3 de junho de 2009

Manias de cada um

É em tempos de desastres aéreos que eles lembram de reforçar ainda mais o medo que têm.
Desde que tornaram-se pais, sentiram o peso de ser responsáveis por alguém.
São três crianças, pelas quais nutrem um amor incondicional.

Tiveram a sorte de trabalhar juntos,
Na verdade é o meio em que se conheceram.
Quando vieram os pequenos,
Uma nova mania foi agregada à vida do casal.

A cada viagem a trabalho,
Em que era necessária a presença de ambos,
O voo era feito de forma separada,
Em aviões diferentes. Medos separados.

A regra se estendeu às viagens de férias da família.
Ficava difícil entender e também de planejar.
Quais dos três filhos iriam com a mãe ou com o pai?
A certeza é que pai e mãe nunca viajariam juntos.

Para eles, trata-se de uma segurança,
Para qualquer ocorrido trágico que venha a surgir na viagem de avião.
Se um dos aviões cair, explodir ou se acidentar,
Nunca matará pai e mãe ao mesmo tempo.
E assim, a certeza de que os filhos nunca ficarão totalmente órfãos.

11 comentários:

Vanessa Dantas disse...

Quanta prevenção! Aff!
O ideal mesmo é ir todo mundo junto...
Beijo.

Carol Binato disse...

Acho que conheço um casal que vive esta mesma história. Acredito Vanessa que isso não seja prevenção, somente. É uma prevenção aliada ao amor fraternal, ao planejamento futuro dos filhos, a previsão de possibilidades... É o zelo e o medo de deixar três crianças em um mundo cada dia mais imprevisível.
Beijos

eLi disse...

É, realmente são dois lados a se pensar...

É, mesmo, prevenção ao extremo, Vanessa, a ponto de virar um ritual estranho até - o que deve complicar muito uma simples viagem de avião.

E, em se tratando de preocupação e amor fraternal, parece que não há limites mesmo, no quesito cuidar. O mundo anda mesmo muito complicado de ser habitado, principalmente aos novinhos cidadãos que chegam. Por aí, Carol, dá para pensar mais ou menos como esses pais.

Beijo, meninas!

caderno digital disse...

que loucura!!
tenho medo de avião, mas juro que não faria uma coisa dessas! acho muito boa a companhia, enfim...
bj

eLi disse...

E, Andréa, seria mesmo louco planejar uma viagem assim. "Ficaremos lá dez dias, sairemos às 15h e você no voo das 14h, para o caso do avião cair no meio do caminho..."


Beijo!

Jairo Souza disse...

Qunato medo da morte! Eita!

eLi disse...

O sempre medo de evitar o inevitável!

Abração!

nora disse...

nem me lembre disso. passei a pouco por um terror pessoal, qdo minha filha viajou pela primeira vez sozinha. para ela foi otimo, para mim terrivel,
mas toda vez, como nessa historia, ficar se pensando no pior, nao acho saudavel, eu de qquer modo, acredito mesmo qiue quem manda é o papai do ceu, e isso pde ser em aviao , em moto, ou ate mesmo a pé.
falando agora em vida, obrigado por seus comentarios.
mil bjs Nora

eLi disse...

É o que meu pai diz, também, Nora! Que não podemos perder tempo com preocupações sobre algo que não nos cabe decidir!

Beijão!

nora disse...

Amei a frase do seu papi. bisous

eLi disse...

Hehehe...é a sabedoria dos mais velhos!
Beijão!